As principais notícias do mercado PET e VETERINÁRIO ao seu alcance

Como a osteoartrite em gatos se manifesta?

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso grupo do Whatsapp

osteoartrite em gatos
Foto: Freepik

Doenças articulares são comuns também em animais de estimação, incluindo os gatos. Nos casos de artropatia degenerativa, também conhecida como osteoartrite, a cartilagem articular sofre um desgaste progressivo que resulta em dor crônica e pode ser debilitante para alguns animais.

Os gatos são reconhecidos por sua discrição ao lidar com a dor e raramente demonstram sintomas óbvios. Geralmente, eles adaptam seu comportamento, mas raramente mancam, como acontece com os cães quando têm problemas articulares.

Essa condição tende a se manifestar a partir dos 12 anos, mas os sinais de desgaste articular já podem surgir a partir dos seis anos de idade. As articulações mais afetadas estão na extremidade da coluna, nos cotovelos, joelhos, quadril, ombros e tornozelos.

Fatores de risco na osteoartrite em gatos

A osteoartrite pode surgir como resultado de doenças infecciosas ou autoimunes, além de condições que afetam a biomecânica das articulações, como traumas, distúrbios ortopédicos do desenvolvimento, luxação da patela, entre outros.

A obesidade e o envelhecimento também são fatores que podem contribuir para o desenvolvimento da artropatia degenerativa. Estima-se que, a partir dos 10 anos de idade, a cada ano adicional, a probabilidade de desenvolver doenças degenerativas nas articulações aumenta em cerca de 13,6%.

Seu gato tem osteoartrite? Saiba como tratar

Alterações no comportamento dos gatos são indicativos de possível dor. Quando o animal se torna menos ativo, demonstra dificuldades ou hesitação ao subir ou descer de superfícies antes acessíveis, reduz a frequência de saltos, parece mais rígido ou caminha mais lentamente, pode estar sofrendo de dor articular e deve ser examinado por um médico-veterinário.

A diminuição na ingestão de água e/ou alimentos também sinaliza que algo não está bem com o animal, assim como a redução nos hábitos de arranhadura (notada pelo crescimento excessivo e espessamento das unhas) e a diminuição da lambedura e higiene própria. Por esse motivo, conhecer bem o bichinho e seus hábitos é essencial para os tutores.

Em casos suspeitos de doença articular, o médico veterinário pode solicitar exames radiográficos para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado.

Com relação ao tratamento, o melhor a se fazer é procurar orientação e assistência de um profissional de confiança. Ele pode indicar uma série de tratamentos, como anti-inflamatórios convencionais e fisioterapia veterinária.

 

Mais lidas

OUTRAS NOTÍCIAS