As principais notícias do mercado PET e VETERINÁRIO ao seu alcance

MSD Saúde Animal quer firmar liderança na indústria veterinária

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso grupo do Whatsapp

indústria veterinária
Time da unidade de Animais de Companhia da MSD: Kathia Soares (coordenadora técnica), Jayme Alexandre Dias de Lima (diretor), Diane Braggio (gerente de portfólio e marcas), ao lado do mascote Max | Foto: Panorama PetVet

A disputa pela liderança na indústria veterinária ganha novos contornos no país. Depois de alcançar a primeira posição em faturamento em 2022, a MSD Saúde Animal decidiu entrar de vez em um terreno ocupado pelas concorrentes Zoetis e Boehringer Ingelheim.

A aposta da fabricante norte-americana é investir em medicamentos com preço mais econômico. O primeiro lançamento do gênero foi apresentado na última semana ao Panorama PetVet. Trata-se do ectoparasiticida Defenza, definido pela MSD como o único no mercado com indicação em bula contra a pulga Tunga penetrans, causadora da zoonose bicho-de-pé.

Já disponível para clínicas veterinárias e pet shops por meio de venda direta ou apoio de distribuidoras regionais, o produto chega ao mercado com preço de R$ 93,50 a R$ 144,90, de acordo com a dosagem. Indicado para cães a partir de oito semanas de idade e com peso igual ou superior a 2 kg, foi concebido para uso mensal e proporciona uma proteção contínua por até 37 dias.

Até então, a MSD era reconhecida nessa categoria de antipulgas pelo Bravecto, mas com proteção por 12 semanas com um único comprimido. Porém, o preço é salgado, com custo na faixa de R$ 140,95 a R$ 322,90.

Na categoria dos antipulgas mensais, o valor do Nexgard, da Boehringer Ingelheim, gira em torno de R$ 75 a R$ 200. Já o preço do Simparic, da Zoetis, tem valores entre R$ 73,92 e R$ 265,90.

Indústria veterinária vê medicalização baixa como atalho para crescer

Em entrevista no ano passado ao Valor Econômico, o presidente da companhia no Brasil traçou perspectivas da indústria veterinária em território nacional. É o segundo mercado da divisão de saúde animal, atrás apenas dos Estados Unidos.

Para Delair Bolis, o país concentra o terceiro maior volume de número de animais de estimação no mundo, mas a taxa de medicalização ainda é baixa, o que representaria uma oportunidade aderente ao novo lançamento. “Queremos deixar mais acessíveis os cuidados com cachorros e gatos”, declarou.

Com faturamento em torno de R$ 2 bilhões no Brasil, a farmacêutica movimenta 18% da sua receita com o segmento de animais de companhia. Embora os indicadores sejam positivos, a empresa prevê uma desaceleração depois do boom provocado pela pandemia da Covid-19.

Produto terá campanha em rede nacional

A estratégia no Brasil será diferente da que a MSD promoveu no México, onde existe a versão mensal do Bravecto. A ideia é enfatizar o Defenza como a versão econômica.

A campanha publicitária em escala nacional, envolvendo mídias televisivas, redes sociais e o mascote Max, um vira-lata caramelo, reforça o propósito de democratizar o acesso à medicação. “Estamos apostando em uma abordagem engraçada e lúdica”, conta Diane Braggio, gerente de portfólio e marcas da unidade de negócios de animais de companhia da MSD.

Mais lidas

OUTRAS NOTÍCIAS